Dia Nacional do Samba

2 de dezembro de 2019 0 Por cruzetanoar

História do Samba

Daniela Diana

Daniela Diana Professora licenciada em Letras

samba é uma dança e um gênero musical brasileiro considerado um dos elementos mais representativos da cultura popular do Brasil.

Este ritmo é fruto da miscigenação entre a música africana e europeia nos campos e na cidade.

Devido a sua grande presença em todo território nacional, o samba assume formas diferenciadas em cada região, mas sempre mantendo a alegria e sua cadência envolvente.

Origem do Samba

O samba foi criado no Brasil e sua origem são os batuques trazidos pelos negros escravizados, misturados aos ritmos europeus, como a polca, a valsa, a mazurca, o minueto, entre outros.

Inicialmente, as festas de danças dos negros escravos na Bahia eram chamadas de “samba”. Os estudiosos apontam o Recôncavo Baiano como o berço do samba, especialmente o costume de dançar, cantar e tocar instrumentos em roda.

História do samba
Batuque, J.M, Rugendas, retratando pessoas escravizadas cantando e dançando em roda

Após a abolição da escravidão, em 1888, e da instituição da República, em 1889, muitos negros se dirigiram à então capital da República, o Rio de Janeiro, em busca de trabalho.

Porém, qualquer manifestação cultural africana era vista com desconfiança e criminalizada, como a capoeira e o candomblé. Com o samba não foi diferente.

Assim, os negros começam a fazer suas festas nas casas das “tias” ou “vovós”, verdadeiras matriarcas afro-descendentes que acolhiam os batuques. No Rio de Janeiro, o mais célebre desses lugares era a casa de Tia Ciata, mãe de santo carioca.

Da mesma forma, compositores de origem erudita como Chiquinha Gonzaga e Ernesto Nazareth, utilizam os ritmos africanos em suas composições. Ainda não era o samba tal como conhecemos hoje e, por isso, o chamavam de choro, valsa-choro e até mesmo tango. Outro que seguiria o mesmo caminho seria o compositor Heitor Villa-Lobos.

Em 1917 foi gravado no Brasil aquele que é considerado o primeiro samba com o título “Pelo Telefone”, com letra de Mauro de Almeida e Donga.

O samba foi entrando nos salões da elite e pouco a pouco foi se associando ao Carnaval, que até aquele momento, tinha as marchinhas como trilha sonora.

O advento do rádio e o talento de intérpretes como Carmem Miranda, Aracy de Almeida e Francisco Alves, fizeram o samba cada vez mais popular em todo Brasil.

O poeta e compositor Vinícius de Moraes resumiu a gênese do samba em seus versos magistrais de “Samba da bênção” (com música de Baden Powell, 1967):

Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração

Veja também:Cultura do Sudeste

Origem da palavra samba

Há controvérsias sobre a origem da palavra “samba”, mas provavelmente advém do termo africano “semba” que significa “umbigada”.

Cumpre dizer que “umbigada” era uma dança executada pelos negros escravizados durante seus momentos de folga.Veja também:Principais Características da Cultura Afro-Brasileira

Samba no Brasil

O samba está presente em todas as regiões brasileiras e, em cada uma delas, são incorporados novos elementos ao ritmo, sem contudo, perder sua cadência característica. Os mais conhecidos são:

  • Samba da Bahia
  • Samba Carioca (Rio de Janeiro)
  • Samba Paulista (São Paulo)

Assim, dependendo do estado modificam-se os ritmos, as letras, o estilo de dançar e até mesmo os instrumentos que acompanham a melodia.

O samba da Bahia foi influenciado pelos batuques e canções indígenas, enquanto no do Rio, sente-se a presença do maxixe. Em São Paulo, as festas das colheitas de café nas fazendas seria a origem da influência da relevância dos sons mais graves da percussão no samba paulista.Veja também:Gêneros Musicais Brasileiros

Exemplos de Samba

Contudo, a divisão do samba em escolas regionais causa controvérsias. O próprio Adoniran Barbosa, um dos maiores compositores paulistas, rejeitava esta classificação.

No entanto, há musicólogos que sustentam estas diferenças. Abaixo três exemplos de sambas famosos do Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo, respectivamente.